Atualizado 11/10/2017

Funcionários dos portos vigiavam droga até embarque, diz delegado da PF sobre esquema de tráfico internacional

Quatro pessoas seguem foragidas. Foram presas 56 pessoas em duas operações em 6 estado nesta terça.

Contêiner é verificado no Porto de Itajaí (Foto: Polícia Federal/Divulgação)
Contêiner é verificado no Porto de Itajaí (Foto: Polícia Federal/Divulgação)

A participação de funcionários de portos era fundamental no tráfico internacional de cocaína investigado nas operações Oceano Branco e Contentor, da Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, afirmou a PF. De acordo com a polícia, eles vigiavam a droga até o embarque. Nesta terça-feira (10), 56 pessoas foram presas. Quatro seguiam foragidas até a noite desta terça.

As ações fazem parte de investigações que já levaram à apreensão de mais de 10 toneladas de drogas no Brasil e Europa. A maioria dos suspeitos foi presa temporariamente e preventivamente, e outras em flagrante, porque, segundo a polícia, estavam com armas de calibre restrito ou drogas no momento da prisão. As operações foram feitas nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Pernambuco, Paraíba e Rio de Janeiro.

 

Suspeitos e esquema

 

"A participação dos funcionários dos portos era posterior à colação da cocaína nos contêineres e está relacionada a vigilância da droga no interior dos pátios dos terminais portuários até o embarque do contêiner no navio e aí o segmento da rota normal", afirmou o delegado da PF Fábio Mertens.

Entre os suspeitos, estão motoristas de caminhão, despachantes aduaneiros, funcionários dos portos e de armazéns, além de traficantes.

Fonte: G1
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções