Atualizado 16/03/2018

Polícias realizam operação conjunta para combater organização criminosa em SC

A manhã de sexta-feira amanheceu com 40 policiais federais, 30 policiais civis e 20 policiais militares realizando a operação Bravo Zulu

A identificação dos líderes do grupo foi possível por conta do trabalho conjunto entre as polícias Federal, Civil e Militar  Foto: Divulgação / Divulgação
A identificação dos líderes do grupo foi possível por conta do trabalho conjunto entre as polícias Federal, Civil e Militar Foto: Divulgação / Divulgação

A manhã de sexta-feira amanheceu com 40 policiais federais, 30 policiais civis e 20 policiais militares realizando a operação Bravo Zulu na região Sul de Santa Catarina e Grande Florianópolis. Os agentes estão cumprindo 18 mandados de busca e apreensão e 16 mandados de prisão nos municípios de ImbitubaGaropabaTubarão Palhoça.

O objetivo da operação é reprimir o tráfico de drogas e combater uma organização criminosa que atua em cidades do Estado. Conforme informações preliminares da Polícia Civil, alguns dos líderes do grupo já foram presos, assim como pessoas responsáveis pelo transporte e venda das drogas. Além disso, foram apreendidos 637 kg de maconha, nove kg de cocaína, dois kg de crack e de cerca de 1,5 mil comprimidos de ecstasy.

De acordo com as investigações, o grupo tem dinheiro suficiente para manter casas, carros importados e até mesmo um avião de pequeno porte. Entre as drogas traficadas pela organização estão cocaína, maconha e comprimidos de ecstasy, com o respectivo lucro sendo ocultado empresa. Além disso, o grupo também utiliza a prática de recrutamento de adolescentes para atuar na organização criminosa.

A manhã de sexta-feira amanheceu com 40 policiais federais, 30 policiais civis e 20 policiais militares realizando a operação Bravo Zulu na região Sul de Santa Catarina e Grande Florianópolis

Os agentes estão cumprindo mandados nos municípios de Imbituba, Garopaba, Tubarão e PalhoçaFoto: Divulgação / Divulgação

A identificação dos líderes da organização foi possível por conta do trabalho conjunto e compartilhamento de informações entre as polícias Federal, Civil e Militar. Nos crimes investigados constam tráfico de drogas, associação para o tráfico, organização criminosa e de corrupção de menores, com penas que podem chegar a cerca de 30 anos de prisão.

Essas ações em conjunto, com uma tarefa sendo realizada com sucesso, são referências para o nome da operação Bravo Zulu. Conforme a Polícia Civil, um código de bandeiras apresentava sinais específicos para grupos que atuavam em conjunto na II Guerra Mundial, sendo que a expressão Bravo Zulu significava um trabalho "bem feito".

Fonte: Diário Catarinense
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções