Atualizado 21/12/2018

Em nome do pai: goleiros abraçam filho de Danilo, da Chapecoense, em primeiros passos no futebol

Os traços do rosto são idênticos, impressionam.

Os traços do rosto são idênticos, impressionam. Já os pulos na casa deixam a certeza: a genética foi além da semelhança física entre Danilo e o pequeno Lorenzo.

O filho do goleiro morto no acidente com o avião da Chapecoense, há dois anos, ainda trata tudo de forma muito lúdica. Mas, prestes a completar cinco anos, responde de bate-pronto sobre o que quer ser no futuro:

 

- Goleiro, igual ao meu pai!
 

Pique para fazer valer a paixão pelo futebol que ficou de herança não falta. Lorenzo é uma criança feliz (e imparável). Com a bola a tiracolo, chuta para lá, pula para cá, e dá vida ao apartamento onde mora com a mãe, Letícia, em Arapongas, no interior do Paraná.

Nos últimos meses, a relação com o esporte ultrapassou as paredes de casa e a quadra da escolinha onde se diverte com amiguinhos. Chegou a Fortaleza. Através de amigos, Rogério Ceni soube da paixão de Lorenzo e enviou um vídeo incentivando-o a lutar pelos seus sonhos.

Danilo era são-paulino de coração e tinha no atual técnico do Fortaleza a maior referência. A mensagem viralizou e o GloboEsporte.com comprou a ideia. Em contato com os 20 clubes da Série A do Brasileirão, sugeriu uma parceria para mensagens de incentivo e presentes para Lorenzo. A adesão foi quase unânime.

De todos os procurados, apenas Vanderlei, do Santos, se recusou a participar da ação sem maiores explicações. Nada que diminuísse o frisson de Lorenzo e a emoção de Letícia ao receber palavras de carinho, luvas e camisas para aumentar a coleção deixada pelo pai.

- Desde pequenininho, apesar do pouco tempo, o Danilo instruiu o Lorenzo a jogar. Só brincavam de bola. Às vezes, ele chegava tarde de viagem, acordava o Lorenzo no bercinho e chamava: "Vamos jogar bola com o papai?". E ficavam jogando - recorda com carinho Letícia.

A mãe, palmeirense, foi convidada para levar Lorenzo ao jogo contra o Vitória, pela última rodada do Brasileirão, quando o Verdão ergueu o troféu de campeão. Presenteado com uma camisa por Dudu, com direito a entrar em campo com os jogadores, o pequeno goleiro se divide entre o São Paulo do pai e o Palmeiras da mãe.

 

 

Não há pressa, porém, para escolher um clube ou uma só camisa. Agora, Lorenzo tem várias para pular dentro de casa e seguir os passos do pai.

Confira a relação dos goleiros que participaram da reportagem:

  • Weverton - Palmeiras - Doou par de luvas
  • João Ricardo - América-MG - Doou para de luvas
  • Marcelo Grohe - Grêmio
  • Jefferson - Botafogo
  • Victor - Atlético-MG - Doou uma camisa
  • Everson - Ceará - Doou uma camisa
  • Paulo Victor - Grêmio - Doou par de luvas
  • Fábio - Cruzeiro
  • Magrão - Sport
  • Sidão - São Paulo/Goiás - Doou par de luvas e camisa
  • Danilo Fernandes - Inter - Doou par de luvas
  • Anderson - Bahia
  • Richard - Paraná - Doou par de luvas
  • Cássio - Corinthians - Doou par de luvas
  • Walter - Corinthians - Doou uma camisa
  • Jean - São Paulo - Doou par de luvas e camisa
  • Douglas - Bahia
  • Fernando Miguel - Vasco - Doou par de luvas
  • Santos - Atlético-PR - Doou uma camisa
  • César - Flamengo - Doou uma camisa
  • Marcelo Lomba - Inter
  • Júlio César - Fluminense - Doou par de luvas e camisa
  • Elias - Vitória / Chapecoense - Doou par de luvas
  • Jandrei - Chapecoense - Doou par de luvas

Fonte: Globo Esporte
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções