Atualizado 06/02/2019

Inter terá desafio de controlar ansiedade de Guerrero

Atacante iniciou treinamentos com os companheiros de clube nessa terça

O maior reforço do Inter para 2019 foi contratado em 2018, mas ainda não estreou e, pelos próximos dois meses, não poderá disputar partidas oficiais. Ou amistosos. Sequer dar entrevistas, ou mesmo figurar em materiais promocionais. Desde essa terça-feira, ao menos, pode treinar com os novos companheiros e se ambientar às rotinas do clube. Ao chegar ao Beira-Rio na manhã de ontem, Paolo Guerrero foi saudado pelo executivo de futebol, Rodrigo Caetano, que ouviu do jogador uma pergunta que se repetiria algumas vezes ao longo do dia: “Tem certeza que não posso jogar ainda?”

“A ansiedade dele é o que vamos ter que conter, não tem jeito. Estamos falando de um atleta de ponta, mundialmente reconhecido, a quem foi tirado o direito de jogar. Precisa um cuidado psicológico”, comentou Caetano, que compara a situação do peruano à de um jogador que volta de uma lesão longa e se sente melhor quando começa a trabalhar normalmente. “Participar das rotinas diárias, convivendo com os companheiros, vai amenizar isso (a ansiedade), por já poder vislumbrar o retorno”, acredita.

Depois de passar pelos testes físicos pela manhã, Guerrero correu ao redor do campo do CT Parque Gigante, à tarde. Nesta quarta-feira, a rotina deve se repetir, com o restante dos exames físicos e clínicos. A partir dos resultados, será definido quando ele passará a treinar com bola. Durante o tempo que passou no Peru, desde que a Wada revalidou sua suspensão por doping até 5 de abril deste ano, o centroavante trabalhou com um preparador físico particular. Portanto, não deve demorar a estar em forma.

Para suavizar a falta de ritmo de jogo na volta aos campos em abril, até lá as atividades incluirão coletivos e simulações de partidas. Afinal, nem jogos-treino ele pode disputar. “Ele começou hoje (ontem) como qualquer atleta começaria a pré-temporada, agora sob o comando da nossa preparação física e comissão técnica. A diferença é que a dele vai ser mais longa”, explicou o dirigente. “Ele não tem histórico de lesões, é um jogador privilegiado fisicamente. Vamos fazer todo o possível para que em 60 dias, ele esteja o mais próximo possível do ideal”, acrescentou.

O esforço do Inter, além de preparar Guerrero física e psicologicamente, é tentar minimizar a importância da situação. “O clube não vai utilizar nada que nos faça correr risco (de punição). Ele não será o centro das atenções e não vai mudar a nossa rotina”, disse Caetano.

A partir de hoje, Odair Hellmann começa a preparar o time para o jogo de domingo, contra o Juventude, no Alfredo Jaconi, pela sexta rodada do Gauchão.

Fonte: Correio do Povo
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções